A gestão da cadeia de suprimentos é extremamente complexa e são muitos os riscos envolvidos. Dependendo do seu negócio, há muitas origens (áreas), produções (produtos) e transportadores. Manter um time que mapeie, monitore e avalie os riscos de conformidade (propriedade legal, licenças válidas etc.) é uma tarefa custosa. Outra abordagem é solicitar que uma terceira parte (certificadora) verifique essas questões, mas para muitos fornecedores (principalmente os pequenos proprietários) essa opção é inviável financeiramente.

Do ponto de vista dos clientes ou compradores, é muito difícil saber o real valor dos produtos, pois há falta de transparência nas informações. Os selos das certificadoras, muitas vezes, não mostram todo o trabalho que é feito pela cadeia (muitas vezes, mais do que é solicitado) e a competição, nestes casos, fica desbalanceada. Comunicar toda a responsabilidade de fornecimento aos clientes finais melhora o posicionamento da marca no mercado.

Outro problema ocorre quando houver suspeita de práticas ilegais ou antiéticas ao longo da cadeia de suprimentos. A investigação se torna complexa quando não há um mecanismo eficaz de determinação da cadeia de custódia do lote (saber quem esteve de posse do lote em um determinado período). Nestes casos a utilização de planilhas ou até mesmo papel não se mostra eficaz, pois há margem para discussões sobre as informações neles contidas.

Devido a toda essa complexidade e falta de transparência da nossa atual cadeia de suprimentos, a tecnologia blockchain tem se apresentado como uma alternativa viável e de grande aplicabilidade.

Afinal das contas, o que é blockchain?

A tecnologia blockchain por ser amplamente divulgada como a utilizada nas cripto moedas, em especial o Bitcoin, acabou-se confundido com a própria moeda virtual. No entanto, o bockchain nada mais é do que um livro razão digital distribuído que, pela sua extrema segurança, foi utilizada para viabilizar qualquer transação (inclusive pagamentos), acordos (contratos) e rastreamento. O blockchain é um tipo de banco de dados espalhado por vários sites, países ou instituições, ou seja, de natureza descentralizada, o que elimina a necessidade de um intermediário processar, validar ou autenticar transações. Cada parte (por exemplo, indivíduo, organização ou grupo) é representada por seu computador, chamado nó, na rede. Cada nó mantém sua própria cópia de todas as transações na rede e os nós trabalham diretamente entre si para verificar a validade de uma nova transação por meio de um processo chamado consenso. Cada uma dessas transações é criptografada e enviada para todos os nós da rede para serem verificados e agrupados em blocos de transações com registro de data e hora. Em outras palavras, as transações são agrupadas em blocos com registro de data e hora. Os blocos que foram escolhidos para inclusão na cadeia pelo mecanismo de consenso são enviados para todos os nós da rede.

Quais os benefícios do blockchain para a cadeia de suprimento responsável?

  • Cadeia de custódia (um registro de “apertos de mão”): Toda vez que há um “aperto de mão” (troca de custódia de lote), a plataforma blockchain o registra (de forma imutável) em seu livro. Além da clara definição de responsabilidades durante a custódia do lote, esta ação pode estar ligada a fluxos inteligentes que podem, por exemplo, “disparar” pagamentos automáticos, agilizando processos e diminuindo custos de pessoal;
  • Responsabilidade (saiba quem é responsável, quando são responsáveis): Durante a jornada de um produto, partindo da origem até a sua entrega, existem muitas partes envolvidas que são confiadas a tratar o lote de acordo (durante a sua custódia). O blockchain propicia um ambiente colaborativo onde os membros da cadeia podem compartilhar informações que permitem auditar se o lote esteve, ou não, em condições favoráveis durante a sua custódia. No caso de alimentos perecíveis, por exemplo, sensores do tipo IoT (Internet das Coisas), podem coletar a temperatura de onde o lote foi produzido, estocado e transportado.
  • Mais transparência e maior precisão das informações de due diligence: O blockchain permite que as empresas tenham um processo de due diligence dinâmico e eficaz, incluindo a capacidade de divulgar informações precisas e tomar medidas para prevenir e mitigar os riscos.
  • Cooperação entre membros da cadeia: Uma plataforma blockchain pode proporcionar a cooperação de várias partes interessadas, onde regras consistentes e coerentes são criadas para responder às principais perguntas de governança e garantir a integração de princípios de conduta responsável.

× Como posso te ajudar?